terça-feira, 8 de janeiro de 2013

pontos, bolas, linhas, redes, flores, tentáculos...

Retrato de Yayoi Kusama aos 10 anos de idade.
A obra de um artista nasce de obsessões. Geralmente, quanto mais obsessivo o artista, mais longeva, prolífica, e diversa é sua obra. Mais sua imagem se confunde e se funde a essa obra. E mais ampla a sua influência na produção de outros artistas.

Yayoi Kusama é uma artista plástica obsessiva-compulsiva. Nascida em 1929, no Japão, migrou para os Estados Unidos em 1957, instalando-se em Nova York, onde logo se associou à vanguarda artística da metrópole cultural norte-americana. Em 1973, retornou às origens, e hoje é considerada uma das mais importantes artistas contemporâneas de seu país.

A riqueza da obra de Kusama pode ser mensurada por sua larga produtividade, pelo uso de múltiplas técnicas e registros das artes visuais - pintura, gravura, escultura, fotografia, performance, instalação -, e pela recorrência profunda de elementos gráficos e decorativos, sobretudo bolas, pontos, flores, linhas, redes, tentáculos. Numa densa análise combinatória, Yayoi Kusama mesclou exaustivamente seu repertório gráfico a diferentes formas de expressão artística, resultando numa obra poderosa e contundente. 

Em 2012, o Whitney Museum of American Art fez uma retrospectiva atualizada da obra de Yayoi Kusama. E a Louis Vuitton, sob o comando de Marc Jacobs, inspirou-se na artista para sua mais recente coleção lançada em setembro do ano passado em Paris. Curiosamente, Kusama chegou a ter sua própria marca, nos anos 60, quando morava em Nova York - a Kusama Fashion Company -, que vendia tecidos e vestidos, todos em estampas de pois e bolinhas.

Esse ano, será a nossa vez de conhecermos de perto a infinita obsessão de Yayoi Kusama. O Centro Cultural Banco do Brasil já anunciou. 

Abaixo, uma amostra de quão variada e extensa foi - e continua sendo - a produção artística de Yayoi Kusama:

"Auto-Obliteração", de 1966, fotocolagem em papel (da série "obsessão por redes").
"Céu e Terra", 1991.
Performance de 1969, no Central Park.
Kusama posa com suas mais recentes pinturas, em 2011, em Tóquio.
A artista fotografada em 2011.
Kusama em "Obessessão por Bolas", 2011.
"Um Encontro com uma Estação em Flor", acrílico sobre tela de 2009.
Yayoi em ação.
"Eu Quero Viver Honestamente, Como o Olho no Quadro", de 2009, acrílico sobre tela.
"Homem Pegando o Inseto", 1972, colagem e óleo sobre papel.
"Peixe", 1953, tinta, aquarela e pastel sobre papel.
Yayoi em "Árvore Amarela", mobiliário para a trienal de Nagoya em 2010.
"Acumulação", 1963, escultura-instalação.

2 comentários:

  1. ela estará por aqui no 2o. semestre... pede uma trilha sonora de bolinhas e flores... :)...

    ResponderExcluir